Solicite seu Cálculo Online


No Brasil, atualmente os bancos e financeiras cobram juros abusivos acima do permitido por lei. É muito comum encontrarmos tarifas e taxas indevidas inclusas no contrato, como: Taxa de abertura de crédito, Emissão de carnês, Comissão de vendedores, etc.
Juros Abusivos Amazonas
Juros Abusivos Amazonas
Você deve estar cansado de tantas cobranças, ameaças e pagamento de juros que nunca acabam, já deve ter pensado em fazer empréstimo pra pagar suas parcelas, devolver o veículo pro banco ou até mesmo vender o seu carro só para ter paz, estou certo?
Saiba como Liberty Revisional pode te ajudar a resolver esse problema de forma rápida e segura.
Chega de pagar juros abusivos nas parcelas do seu financiamento de veiculo.

LIBERTY REVISIONAL

 Empresa número 1 em redução de Juros abusivos do Brasil! 🥇 

0
Anos de Empresa
0
casos resolvido
0 %
clientes satisfeitos
0
em economia

juros abusivos Curitiba

O que é a Revisão de Juros Abusivos:

Neste artigo da Liberty Revisional você vai entender, de uma vez por todas, o que significa a revisão de juros abusivos Curitiba, seus objetivos, como ela funciona e, principalmente, como ela pode te ajudar. Acompanhe

 

Objetivo da revisão de juros abusivos Curitiba

O principal objetivo da revisão é reduzir o valor da dívida paga pelos clientes. Isso é possível por meio de um novo cálculo, que é feito a partir dos limites estabelecidos pelo Banco Central.

 

Além disso, é possível solicitar que o banco devolva em dobro os valores pagos de forma abusiva.

 

Revisão de juros abusivos Curitiba de cheque especial

Os juros do cheque especial são um dos maiores de todas as operações bancárias. Eles podem passar de 300% ao ano.

 

Porém, assim como todos os outros contratos, eles também podem ser revisados e você pode economizar muito! Você não precisa pagar as parcelas abusivas do seu financiamento, empréstimo, cartão de crédito e cheque especial.

 

Você pode evitar esse tipo de pagamento pedindo a revisão de juros abusivos e a Liberty Revisional pode te ajudar.

 

Você sabe o que são juros abusivos Curitiba?

juros abusivos Curitiba, são todas as cobranças de juros sobre juros em cima do saldo devedor, tornando a dívida duas vezes maior que o valor real acordado em contrato.

 

Quando isso acontece, o consumidor poderá recorrer aos seus direitos perante a lei, reduzindo a dívida em até 70%.

 

Tendo em vista seus direitos, a Mais LIBERTY REVISIONAL está aqui para dar um basta nessas cobranças que agridem o bolso do consumidor.

 

Poucas pessoas sabem, mas 90% dos contratos de financiamento hoje possuem cobranças abusivas e é um direito do consumidor rever qualquer contrato bancário, no qual o mesmo se sinta lesado.

 

O que posso fazer para reduzir juros abusivos Curitiba?

Quando o consumidor acredita que está sendo lesado com cobrança de juros abusivos Curitiba, o primeiro passo é recorrer à uma empresa especializada nessa área.

 

A LIBERTY REVISIONAL, será capaz de avaliar se a cobrança dessas taxas possui chances de serem revertidas e poderá reduzir a dívida, encontrando o caminho mais adequado para um novo acordo.

 

Se você possui financiamento e não está de acordo com os juros que está pagando, ou ainda está com parcelas atrasadas correndo o risco de sofrer uma busca e apreensão do seu veículo, entre em contato com a gente, nós podemos te ajudar!

 

Nosso intuito é combater esse abuso de cobrança de juros, fazendo uma ação revisional e proporcionando ao nosso cliente a sensação de estar sendo respeitado, pagando valores justos em suas dívidas.

 

Como saber se a taxa de juros é abusiva

A cobrança abusiva de juros infelizmente é um problema enfrentando por inúmeras pessoas que precisam de crédito e que não conseguem identificar a tempo se irão pagar uma taxa alta demais.

 

Quando percebem que os  juros abusivos Curitiba, o contrato já está assinado e o valor já está saindo do bolso. Por isso, é fundamental conhecer quais são as tarifas praticadas pelo mercado e comparar os valores com aquele que você paga atualmente.

 

Você pode estar se perguntando: “Mas como identificar juros abusivos?” Para isso, é preciso calcular qual seria a taxa de juros mais adequada para o seu cenário, mas não se preocupe pois existem ferramentas que podem te ajudar nesse processo.

 

Você pode usar uma calculadora de  juros abusivos Curitiba ou também a Calculadora do Cidadão do próprio Banco Central.

 

Nela, basta inserir as informações do seu contrato de crédito e depois comparar os índices do resultado mostrado no cálculo do BC com o que está sinalizado no seu documento.

 

Assim, você poderá ter uma informação mais precisa e confiável se a sua taxa de juros é justa e corresponde ao que o Banco Central estabelece, ou se o seu contrato está sofrendo a incidência de  juros abusivos Curitiba.

 

Como recorrer da cobrança de  juros abusivos Curitiba?

Recorrer dos juros abusivos é uma alternativa disponível para quem já contratou as prestações com juros altos.

 

Portanto, é possível abrir uma Ação Revisional de Juros com LIBERTY RESIVIONAL.

 

 Com ela, o contratante do empréstimo ajusta a taxa de juros de acordo com o Banco Central.

 

Não existe uma norma do Código de Defesa do Consumidor que trate especificamente de cobranças em abuso  em financiamentos, pois não existe também um valor exato de quanto uma taxa poderá ser abusiva.

 

Entretanto, o entendimento comum, ressaltado inclusive pelo Banco Central, é de que os juros podem ser considerados abusivos quando estiver acima da taxa média praticada pelo mercado.

 

Uma vez que é sabido que a taxa de juros tem como base a média praticada pelas instituições bancárias, o bom senso das instituições é o que prevalece nos financiamentos.

 

Como para de pagar Juros Abusivos

Faça uma análise contratual com LIBERTY REVISIONAL, empresa especializada em análise contratual de veículos, e reduza já as suas parcelas, pare de pagar  juros abusivos Curitiba e livre-se da busca e apreensão do seu veículo.

 

A partir de uma análise contratual, nossos profissionais apontam se a juros abusivos no seu financiamento. É possível se livrar de juros abusivos e quitar o seu contrato com tranquilidade!

 

A mais LIBERTY REVISIONAL é uma empresa altamente qualificada também em busca e apreensão de veículos e possui especialistas em negociação e redução do valor das parcelas do seu financiamento. Fale com nossos consultores!

 

Cobranças desproporcionais de  juros abusivos Curitiba: os principais cenários

 

Juros abusivos no financiamento de veículos

Os juros absurdos de financiamento de veículos são responsáveis por parte considerável do endividamento das famílias brasileiras. Existe um grande desejo em adquirir esse bem, porém, as taxas de juros são muito altas e no fim o automóvel passa a ter um valor muito maior do que o original. 

 

Antes de mais nada, é imprescindível que você identifique se está pagando juros mais altos do que o previsto em lei. Segundo o Banco Central, as taxas oscilam de 0,78% a 3,83% ao mês, então revise o contrato de financiamento do seu veículo.

 

No documento deve constar a taxa de juros que você irá pagar e o Custo Efetivo Total da operação. 

 

Se você já possui um contrato e acredita que está pagando juros mais altos do que deveria, o mais aconselhável é buscar ajuda da LIBERTY REVISIONAL e entrar na justiça com uma ação revisional, na qual ocorre revisão dos termos contratuais e redução das taxas de juros.

 

Aqui você confere um post completo com todas as informações sobre juros absurdos de financiamento de veículos e como proceder neste caso.

 

É importante ficar atento e utilizar o cartão de crédito somente para emergências ou consumo de um produto que você já tenha calculado e que caiba no seu bolso. 

 

Cuidado também com as famosas “parcelinhas”. Dividir o pagamento em muitas vezes pode dar a falsa ilusão de que o produto não custou tão caro assim. Ao somar todas as parcelas de diversas compras, você poderá se surpreender com o valor final da sua fatura. 

 

Saiba como evitar  juros abusivos Curitiba no financiamento de veículos

A compra de um veículo próprio é um sonho alimentado por muitas pessoas, e um dos caminhos encontrados para a realização dele é o financiamento do carro.

 

Normalmente, esse procedimento é realizado para evitar o comprometimento de toda a renda.

 

Desse modo, quando o cliente toma essa importante decisão, ele deve analisar todos os prós e os contras, de modo a elaborar a estratégia certa com a intenção de evitar problemas futuros, como não conseguir cumprir com os valores dessa dívida.

 

O financiamento de veículos acaba tornando-se uma das saídas mais fáceis para a realização da compra, justamente por estar vinculado a uma instituição financeira, com os bancos sendo a grande maioria desses provedores.

 

Por que as pessoas escolhem o financiamento?

Acima de tudo, os financiamentos possuem propostas bastante atrativas, o que leva os consumidores a ficarem totalmente convencidos de que o investimento nessa modalidade será tranquilo, e dentro do orçamento esperado.

 

No entanto, por inúmeros motivos, pode ocorrer a prática de juros abusivos Curitiba, seja por conta do atraso de pagamento de alguma parcela, ou até mesmo através da composição de valores do próprio financiamento.

 

Para evitar que esse tipo de problema se desenvolva e venha atrapalhar o rendimento financeiro, é necessário que o cliente possua um bom conhecimento sobre os seus direitos, para evitar a prática abusiva da cobrança de juros.

 

Uma das possibilidades para coibir essa situação é a solicitação de uma ação revisional. Caso você não saiba sobre o que ela se trata, não se preocupe, abordamos esse assunto no texto abaixo, que elaboramos para esclarecer diversas questões.

 

Portanto, se deseja saber como evitar a cobrança de juros abusivos, prossiga com a leitura e entenda como descobrir se a sua negociação está sendo vítima dessa prática que, infelizmente, ainda é comum no mercado.

 

O que são os juros abusivos Curitiba

O juro se caracteriza por uma remuneração cobrada pela instituição financeira em cima do valor do empréstimo realizado pelo cliente. Ou seja, nada mais é do que a aplicação de um percentual sobre o valor emprestado.

 

A essa operação dá-se o nome de taxa de juros. Ela é realizada como uma forma de garantir à financeira (ou a quem realiza o empréstimo) a certeza de que não haverá, em sua grande maioria, um rombo financeiro.

 

Dessa maneira, por motivos que compreendem desde uma crise econômica até inadimplência do cliente, quem realiza o empréstimo pode ter o risco de não receber a quantia emprestada de volta.

 

Mesmo sendo um negócio vantajoso para as instituições financeiras, elas precisam se cercar de todas as condições necessárias para não sofrer uma desvantagem financeira com o empréstimo de um determinado montante.

 

Entende-se que o risco financeiro deve ser assumido por quem solicita o financiamento, por isso os juros são aplicados, de maneira a garantir a tranquilidade financeira para a organização, e o cumprimento do compromisso por parte do solicitante do empréstimo.

 

Em boa parte dos casos, na hora de assinar o compromisso de financiamento, o cliente possui o acesso à taxa de juros e de todo valor que pode ser cobrado, ou por conta da duração do contrato, ou através do atraso no pagamento.

 

Entretanto, muitos consumidores podem se tornar vítimas de uma prática injusta e abusiva de cobrança de juros, que não corresponde à realidade da negociação. Desse modo, é preciso que ele saiba fazer valer os seus direitos.

 

Os juros abusivos Curitiba surgem quando essa taxa se apresenta em um valor maior do que o necessário para cobrir o risco do empréstimo de um determinado montante. Também é possível definir essa ação através da média estabelecida pelo próprio Banco Central.

 

Outro detalhe importante que todo cliente precisa saber e ter conhecimento é se o financiamento do veículo possui cláusulas que infringem as normas e determinações incluídas no Código de Defesa do Consumidor.

 

Como definir se os juros abusivos Curitiba ?

Para saber se os juros são abusivos ou não, é preciso saber se as taxas aplicadas estão acima da média do mercado. Como citado no tópico acima, sempre verifique o contrato de financiamento e as práticas de juros da negociação.

 

Apesar de não existirem tabelas responsáveis por definir os índices de juros abusivos, através de uma consulta no site do Banco Central é possível verificar o valor médio das taxas aplicadas em cada operação de crédito disponível no mercado.

 

Entre essas operações, a campeã da prática de juros abusivos é o próprio financiamento de veículos. Se após assinar a negociação e começar a efetuar o pagamento, você desconfiar de que esses juros estão sendo praticados, o ideal é consultar um advogado.

 

Ação revisional

Após procurar um profissional de Direito de confiança, e sendo constatada a prática de juros abusivos Curitiba , é ideal que a ação revisional seja realizada quanto antes. A sua função é evitar que continue ocorrendo a cobrança conhecida como anatocismo.

 

Essa prática utiliza a capitalização de juros, disponibilizada nos contratos de modo a dificultar a redução do pagamento da dívida pelo consumidor. A porcentagem de juros nesses casos tende a ser maior que a diminuição do valor a ser pago.

 

A ação de revisão de um financiamento automotivo é responsável por analisar o contrato e buscar uma diminuição dos valores dos juros, para que o orçamento do solicitante não continue a ser comprometido.

 

Desse modo, ela acabou sendo utilizada de maneira abusiva pelos consumidores nos últimos anos, o que levou o Judiciário a tornar o seu pedido extremamente rigoroso, dificultando a prosperidade desse procedimento.

 

Com a finalidade de não sobrecarregar o sistema, só é possível prosseguir com a ação revisional se o contrato de financiamento mostrar taxas de juros realmente abusivas sobre aquelas que são praticadas no mercado.

 

Em contrapartida, para que o prosseguimento da ação seja realizado com sucesso, é preciso que, além da taxa abusiva, a instituição financeira deve cobrar outras taxas e despesas irregulares dentro do contrato de financiamento.

 

Como a ação revisional gasta muito tempo e dinheiro, antes de optar por um financiamento automotivo, procure sempre fazer negócio com instituições ou concessionárias vinculadas a bancos, pois, elas tendem a oferecer maior garantia e uma taxa justa de cobrança de juros.

 

Se este assunto lhe interessou, ou se precisa obter maiores esclarecimentos sobre outras questões, acesse o nosso site. Será um prazer responder às suas questões, dúvidas e observações!

 

Juros abusivos Curitiba  tudo o que você precisa saber 

1 – O que é, afinal, Ação Revisional de Contrato de Financiamento de Veículos? Irá tratar apenas sobre a questão dos juros abusivos?

Não. Como já dissemos a partir do momento em que assinou contrato, e não havendo a possibilidade de desfazê-lo, já é possível revisá-lo judicialmente, independentemente se pagou zero, dez ou todas as prestações.

 

2 – Qual o objetivo do processo?

A – Eliminar as cláusulas irregulares ou abusivas existentes no contrato;

 

B – Reduzir substancialmente o valor da dívida ou o valor da prestação do financiamento;

 

C – Requerer a devolução em dobro de valores pagos a maior;

 

D – Em alguns casos requerer indenização por dano moral, diante de cobranças indevidas.

 

3 – Quem pode entrar com o processo?

O direito de ação é um direito constitucional garantido pelo art. 5º, XXXV da Constituição Federal. Qualquer pessoa física ou jurídica tem o direito de pedir a revisão dos seus contratos bancários, sejam ele de que espécie forem.

 

4 – Quais contratos podem ser revisados?

Todas as operações bancárias são realizadas através de contratos. E quando existe alguma irregularidade nestes contratos o consumidor tem o direito de revisá-lo judicialmente.

 

Portanto, todo contrato fruto de uma operação bancária pode ser levado à Justiça para revisão.

 

Os mais comuns são:
Contratos de Financiamento de Veículos (Motocicletas, Carros, Caminhões, Máquinas Agrícolas);
Contratos de Empréstimo Pessoal;
Contratos de Cartão de Crédito;
Contrato de Cheque Especial ou Capital de Giro.

 

5 – Quais as irregularidades podem ser encontradas nestes contratos?

Existem uma série de irregularidades prejudiciais ao consumidor que podem ser encontradas nos contratos bancários. Algumas são constadas com mais frequência, são estas:

 

Taxa de Juros Remuneratórios acima do limite estabelecido pelo Banco Central

 

Juros remuneratórios são aqueles embutidos na prestação, sem inadimplência, paga pelo consumidor. O limite da taxa dessa modalidade de juros é publicado mês a mês pelo Banco Central do Brasil no seu site oficial. Deste modo, se no momento da contratação o banco incluir no financiamento uma taxa de juros remuneratórios mais elevada do que o limite estabelecido, esta cláusula será irregular.

 

Comissão de Permanência
Se os juros remuneratórios são aqueles cobrados mesmo com o   contrato em dia, a comissão de permanência, por sua vez, é a taxa de juros cobrada quando o consumidor entra em inadimplência. Ou seja, quando há o atraso no pagamento há a cobrança desta modalidade de juros, que é totalmente ilegal e mesmo que prevista em contrato não pode de forma alguma ser cobrada.

 

Juros Abusivos (Capitalizados)
A capitalização de juros, ou juros sobre juros como é popularmente chamado, somente pode ser cobrada se houver previsão expressa no contrato. Porém, geralmente as instituições financeiras omitem a existência da capitalização visando tornar o contrato mais atrativo ao consumidor no momento da sua celebração.

 

Esta omissão torna irregular a capitalização dos juros e a cobrança, portanto, pode ser reclamada processualmente.

 

Tarifas de Abertura de Crédito
Tarifas de cadastro, ou tarifas de abertura de crédito, tarifa de emissão de carnê são taxas inventadas pelos bancos para cobrir despesas administrativas geradas pelos contratos.

 

Essas taxas possuem diversas nomenclaturas e frequentemente os agentes financeiros acham um novo nome para elas. A cobrança dessas taxas se traduz em abuso contra o consumidor.

 

Isso porque o “negócio” dos bancos é a concessão de crédito, e como qualquer negócio cabe ao seu provedor arcar com as despesas geradas por ele. Repassar estas despesas a quem utiliza o serviço é o mesmo que um restaurante vender a refeição e cobrar pelo uso do prato.

 

6 – Como funciona o processo?

Entra-se com o pedido de revisão contratual demonstrando através de cálculos os abusos cometidos pelo banco.

 

Solicita-se uma liminar composta de três pedidos.
O primeiro, para que seja autorizado o depósito mensal em uma conta judicial do valor realmente devido (parcela reduzida apurada no cálculo).

 

O segundo, pede-se que o juiz proíba o banco de incluir o nome do consumidor nos cadastros de inadimplentes enquanto perdurar o processo.

 

O terceiro, para que o juiz proíba o banco de apreender o bem (Moto, carro, caminhão, etc) dado em garantia do contrato (pedido liminar de manutenção de posse). O Juiz então receberá o pedido inicial e decidirá se irá concedê-lo ou não. Em caso de concessão da liminar, o consumidor para imediatamente de pagar a parcela estipulada em contrato e começa a depositar em juízo a o valor da parcela reduzida (aproximadamente 50% a menos do que a parcela original, a depender da taxa de juros estipulada em contrato e demais cláusulas).

 

Ainda em caso de concessão da liminar, o banco é notificado da proibição de incluir o nome do consumidor nos cadastros de inadimplentes, bem como da proibição de tentar apreender o veículo objeto do contrato.

 

Deve-se enaltecer, contudo, que é possível que o pedido liminar seja indeferido. Neste caso é feito um recurso visando a modificação da decisão.

 

Após, o processo seguirá até decisão final sobre o pedido principal, qual seja a exclusão dos excessos cobrados no contrato.
Importante dizer que 90% dos processos desta natureza se encerram por acordo entre as partes.

 

A celebração de acordo acontece durante o processo e é muito vantajoso para o consumidor e, também, para o banco.

 

7 – Qual a finalidade dos depósitos judiciais?

A principal finalidade dos depósitos judiciais é demonstrar boa-fé processual. Ou seja, realizando os depósitos judiciais você estará dizendo ao juiz: “meu objetivo com o processo não é deixar de pagar o financiamento, e sim buscar o equilíbrio na relação, pagando o valor justo!”.

 

Além de demonstrar boa fé processual os depósitos judiciais tem também outra finalidade, qual seja fazer uma espécie de poupança para possibilitar a realização de acordo no futuro.

 

8 – Como são realizados os depósitos judiciais?

Inicialmente, destaca-se que para realizar os depósitos judiciais os mesmos devem ser autorizados pelo juiz.

 

Uma vez autorizado, as guias de depósito judicial podem ser pagas em qualquer agência do Banco do Brasil, no mesmo dia de vencimento da prestação original.

 

Ao pagar a guia de depósito, o dinheiro correspondente é direcionado a uma conta judicial vinculada ao seu processo, e naquela conta fica armazenado como se fosse uma poupança. O depósito judicial deve ser feito mensalmente no valor calculado pelo escritório tão logo se tenha acesso ao contrato de financiamento ou outra modalidade de crédito.

 

9 – O acontece quando o juiz nega a liminar?

Se as liminares (depósito judicial, manutenção de posse e inscrição no SPC/SERASA) forem indeferidas pelo juiz, será feito recurso, mas se ainda assim o recurso não reverter a decisão de indeferimento, existem as seguintes alternativas:

 

a) Depositar o valor integral da parcela em juízo, com a autorização do juiz, sem prejuízo das liminares;

 

b) Depositar o valor da parcela reduzida em juízo, por conta e risco;

 

c) Pagar a parcela diretamente ao banco e ao final do processo, em caso de procedência, pedir a restituição do valor pago além do limite da dívida;

 

10 – A ação revisional impede a busca e apreensão do veículo?

A instituição financeira pode pedir a busca e apreensão do veículo desde que haja o atraso no pagamento.

 

Normalmente este pedido é feito após três meses de inadimplência. Porém, existe uma grande diferença entre o banco pedir a busca e apreensão e o juiz conceder este pedido.

 

Isso porque para que este pedido seja concedido o agente financeiro deve cumprir uma série de requisitos, sendo um deles comprovar o atraso no pagamento das prestações (mora). Ocorre que quando alguém entra com uma ação de revisão contratual, para discutir a legalidade do contrato, essa pessoa não está em atraso, pois somente deixou de pagar as prestações diante da dúvida quanto a validade daquele contrato. Portanto, se existe ação revisional, não tem atraso, e se não tem atraso não pode ser concedido a ordem de busca e apreensão.

 

Contudo, é importante destacar que por vezes o juiz que recebe o pedido de busca e apreensão solicitado pelo banco não tem conhecimento da existência da ação revisional promovida pelo consumidor, e acaba por autorizar o recolhimento do veículo.

 

Por este motivo, cabe aos Advogados contratados pelo consumidor ficarem atentos e tão logo detectarem a existência de processo pedindo a busca e apreensão informar ao juiz que recebeu este pedido que já existe uma ação de revisão contratual colocando o contrato em “xeque” e dessa forma impedir que seja cumprida a medida de busca e apreensão.

 

Portanto, pode-se dizer que a ação revisional impede sim a busca e apreensão, desde que seja realizado um trabalho constante de monitoramento de riscos nos casos em que não houver deferimento de liminar de manutenção de posse.

 

11 – Quanto tempo demora o processo?

Em se tratando de processo judicial não há como estabelecer um prazo exato.

 

Contudo, a experiência nos mostra que um processo de revisão contratual costuma demorar em média 12 meses.

 

Considerando o encerramento por acordo judicial. Este é o prazo em que, de um lado, o banco está suscetível a realização de acordo, e, de outro lado, o consumidor já conseguiu fazer uma boa reserva de valores, através dos depósitos judiciais, que o possibilitaram chegar na proposta realizada pela instituição financeira.

 

12 – Durante o processo é possível vender ou transferir o veículo?

Não, durante o processo não é possível vender ou transferir o veículo. O veículo foi dado em garantia fiduciária do contrato de financiamento, assim, só é possível vendê-lo ou transferi-lo após a quitação do contrato. Vale dizer que este fato não acontece por conta da revisional em si, pois caso o consumidor opte por pagar normalmente as prestações diretamente para o banco, também só será possível a transferência ou a venda após a quitação plena do contrato.

 

13 – É possível perder a ação?

Como qualquer ação judicial é possível vencer ou perder. A peculiaridade da ação revisional, como já informado, é que cerca de 90% dos processos acabam por acordo, e acordo é tecnicamente considerado empate.

 

A vantagem de compor acordo judicial com o banco na ação revisional são duas. A primeira é que o valor de quitação é inferior até mesmo ao valor oferecido pelo consumidor no processo. A segunda vantagem é o tempo. Ao invés de esperar por anos o deslinde do processo, o acordo é muito mais ágil.

 

Ou seja, a quitação por valor menor e menos tempo.
O interesse do banco em formalizar um acordo com o consumidor é grande também. Os custos com o processo e as despesas com honorários advocatícios tornam o acordo uma saída estratégica para o banco economizar dinheiro.

 

Portanto, o acordo é interesse das duas partes e por isso a maioria dos casos se encerra desta forma, Dificilmente não acontecerá o acordo no processo.

 

14 – Poderei financiar novamente se ajuizar uma revisional?

Essa é uma das principais dúvidas de um potencial cliente, dificilmente em uma consulta esse questionamento deixará de acontecer. É uma dúvida legítima, e a resposta é simples.

 

Qualquer ação judicial abala a relação entre as partes. Assim é na justiça do trabalho, onde o empregado dificilmente conseguirá trabalhar novamente na empresa que processou, assim é nas ações movidas contra vizinhos, contra familiares e etc. Não é diferente no direito bancário. Se você processar um banco, este banco certamente lhe restringirá alguns benefícios. Preste bem a atenção: O banco que você processou que lhe restringirá alguns benefícios. Dizer que você não poderá financiar em outros bancos novamente é uma informação inverídica.

 

Até mesmo no banco que você processou é possível financiar novamente, isso vai depender de banco para banco, alguns voltam a liberar crédito imediatamente, outros esperam o transcurso de certo prazo.

 

Alguns fatos que geraram esta falácia são os seguintes:

a) O consumidor tentou nova aprovação de crédito, durante o processo, no mesmo banco que processou; Neste caso o banco facilmente identificou a existência do processo por meio do seu controle interno e avaliou a concessão de novo financiamento como risco, vindo a negativá-lo.

 

Em regra a situação se normaliza após o encerramento da ação, conforme já referido.

 

b) O consumidor ingressou com a ação revisional e após a quitação do contrato através de acordo no processo permaneceu inscrito no SISBACEN. Deste modo, mesmo não estando cadastrado no SPC nem no SERASA obtinha resposta negativa quando era submetido à análise de crédito. Nestas situações cabe ao Advogado provar a inscrição e pedir a baixa do registro restabelecendo imediatamente o crédito do cliente. Importante salientar que qualquer represália pelo ajuizamento de uma ação judicial é absolutamente ilegal e o banco poderá responder por danos morais se assim proceder.

 

15 – É possível entrar com a ação mesmo estando com parcelas em atraso?

O direito a entrar com a ação revisional é adquirido no momento que você assina o contrato de financiamento. Não existe qualquer condicionante para o ingresso do processo, basta que haja um contrato bancário e que este contrato contenha irregularidades.

 

16 – Ao ingressar com o processo, já pode parar de pagar as prestações?

Entendemos que uma vez constatada a irregularidade no contrato bancário devem cessar os pagamentos, desde que haja uma ação reclamando tal irregularidade. Contudo, essa decisão será tomada em conjunto com o cliente avaliando o seu problema em específico e as consequências de cada uma das opções. Em regra a resposta para esta pergunta é sim.

 

Informações:

Dicas sobre Juros Abusivos de financiamentos

O sonho de ter um carro próprio pode custar caro quando o contrato não é feito de forma justa. Infelizmente uma prática comum do mercado é a cobrança de juros abusivos, lesando o consumidor.

 

Este por sua vez, pode se encontrar em dificuldade de pagar o financiamento por causa dessas abusividades, no entanto, há como recorrer e solicitar a redução dos juros previstos no contrato.

 

Você tem dúvidas sobre juros abusivos? Quer entender de uma vez por todas quais são seus direitos? Então confira nossa lista de verdades sobre juros abusivos e entenda de uma vez por todas o tema.

 

Afinal, entender como recorrer de juros abusivos é fundamental para evitar pagar contas altas demais. O que acaba pesando no orçamento e diminuindo seu poder de compra a longo prazo. E essa não precisa ser a realidade de nenhum consumidor brasileiro.

 

O que Configura Juros Abusivos?

Essa é uma dúvida muito comum, no entanto, no Brasil não existe uma prática de juros limite. Ou seja, não existe a definição do que seria o limite de juros que poderiam ser cobrados dentro de um contrato.

 

Por isso, é muito difícil dizer o que pode ser ou não considerado juros abusivos. Uma vez que não existe uma regra que sirva como parâmetro para todos os casos.

 

No entanto, podemos usar como parâmetro a taxa média de juros praticada no mercado. Caso o consumidor tenha a suspeita de que está pagando juros abusivos, é possível acessar o site do Banco Central e sanar suas dúvidas.

 

Ao acessar o site, se consegue visualizar as taxas de operações de crédito, na aba “dados consolidados (mensal)”. Por lá, é possível analisar qual é a taxa média cobrada pelos bancos no período pesquisado e se a que o consumidor está pagando difere muito dessa média.

 

Quando se tem dúvidas sobre o valor que está sendo pago, é importante procurar um advogado especializado que possa fornecer orientações, pois, ele saberá interpretar os dados apurados.

 

Somente após a análise minuciosa do contrato, o advogado poderá identificar a cobrança ou não de juros abusivos ou qualquer outra prática que está lesando o consumidor naquele contrato.

 

E caso algo seja identificado, o advogado poderá indicar a ação revisional ou outras medidas cabíveis.

 

Juros Abusivos na Compra da Casa Própria

A depender da situação em que foi feito o seu financiamento, os juros podem se tornar bastante elevados.

 

Uma forma de evitar pagar juros altos é criando um relacionamento com o banco que irá financiar seu imóvel. Quando o cliente possui conta salário no banco em que fará o financiamento, por exemplo, a taxa cobrada tende a ser menor, justamente porque a iniciativa de receber seu salário através de conta corrente da instituição passa maior credibilidade, o que gera em média uma redução de 1% no valor dos juros cobrados para financiar o imóvel.

 

Outro aspecto relevante é que a maioria das empresas credoras cobram taxas de juros bastante parecidas, justamente para que possam concorrer entre si. Mas são as taxas/tarifas embutidas no contrato que podem fazer total diferença entre uma cobrança abusiva ou não.

 

Além dos juros para o financiamento acontecer, algumas instituições cobram também taxas como a de avaliação do crédito e seguro imobiliário embutido no contrato.

 

São esses valores que podem se tornar abusivos ao longo do contrato e que acabam acarretando dificuldades no pagamento do seu financiamento.

 

O ideal é que antes de fechar negócio você leia atentamente o contrato e procure outras instituições financeiras, analisando se esse é, de fato, o melhor banco para fechar negócio.

 

Conversando com o gerente e questionando valores é possível negociar e conquistar seu imóvel pagando um valor que seja mais justo.

 

Principalmente quando o nome está limpo e existe um histórico de bom pagador por parte do consumidor.

 

Meu Veículo Pode Ser Apreendido Durante a Revisão de Contrato?

Sim! Ao entrar com a ação revisional do contrato de financiamento, o pagamento das prestações que era feito por carnê passa a ser feito por depósito judicial.

 

Nessa situação a empresa credora deixa de receber as prestações do pagamento do veículo. Por isso, é possível que a empresa adote medidas judiciais para cobrar o crédito.

 

Assim como o consumidor tem direito de ingressar na justiça contra a empresa credora, a empresa possui o direito de propor a ação de busca e apreensão.

 

Desse modo, a depender do caso bem como das situações processuais, tanto da ação proposta pelo consumidor como da proposta pela instituição financeira, é possível que o carro seja apreendido.

 

É preciso que o consumidor tenha total compreensão de como tramitam as ações e obedeça as orientações passadas por seu advogado, devendo procurar sempre profissionais especializados e de renome no mercado.

 

Ao Alegar Juros Abusivos Para Reduzir a Parcela o Que Acontece?

Atualmente, a redução de juros não tem sido acatada na justiça. No entanto, se o objetivo é reduzir a parcela é possível usar outros artifícios.

 

Por termos atualmente um mercado de livre concorrência, é entendido que o cliente tem o poder de escolha. Dessa forma, fica subentendido que ao contratar o financiamento daquela empresa o cliente concordou com a taxa de juros cobrada.

 

Portanto, solicitar a sua redução não parece ser razoável o que faz com que muitas vezes o consumidor perca a causa. Em contrapartida, é possível solicitar a redução de cobranças acessórias que encarecem as parcelas.

 

Acontece que algumas tarifas embutidas no contrato são, muitas vezes, consideradas abusivas e pesam nas parcelas, são elas:

 

  • Seguros;
  • Cadastro do cliente;
  • Tarifa de avaliação;
  • Serviços de terceiros.

 

Afastar o pagamento dessas taxas abusivas pode contribuir para a diminuição da dívida.

 

Portanto, é importante que o consumidor esteja assessorado por um advogado experiente para realizar esse tipo de solicitação.

 

Uma vez que a ação para revisão do contrato precisa estar bem fundamentada. De modo que não corra risco de ser considerada mera aventura jurídica.